Crônicas das Trevas dando cria(Beast: The Primordial)

Não estou falando de deformações, não estou falando de mal ou bem. Estou falando de coisas que vieram antes do que preocupações banais derivadas de tabus, modelos e convenções sociais. Quando existiam apenas dois elementos, “O que você é?” e “O que você quer?”. Eles são medo e eles têm fome. Nada a menos e nada a mais. Duas simples premissas que resumem perfeitamente do quê eu estou falando, sim, eu estou falando de monstros.

Beast, The Primordial, é um jogo que você interpreta um monstro dotado de um apetite sem fim. Ele pode ser um representante de terrores lendários, pode ser ele mesmo uma dessas lendas, ser um reflexo de terrores modernos ou ser um pesadelo totalmente novo.

Você começa a história do seu personagem como um humano que seria normal, se não fossem os pesadelos constantes e incessantes. Por toda a sua vida você teve esse pesadelo de algo te perseguindo, te caçando, vagando nas sombras, te perturbando e te acuando, até o momento que você entende. Sim, é um monstro terrível, porém não se trata de um agente externo, mas sim de você mesmo. Você é esse monstro que sempre esteve presente, partes da mesma entidade, seu rosto e corpo humano são apenas partes necessárias da sua natureza monstruosa, como a isca de um tamboril ou um resto da vida anterior dele.

Ao aceitar/entender sua natureza monstruosa, cria-se um Lair [Covil, em tradução livre] nas margens da inconsciente coletivo (Temenos) para sua alma monstruosa, chamado pelos Beast de Primordial Dream.
Agora, a sua história é guiada por dois elementos: a sua alma e a sua fome. A sua alma determina a sua Family, um dos 5 grandes pesadelos que a Dark Mother trouxe ao mundo para atormentar a humanidade, sua alma é uma manifestação única de um desses pesadelos:

  • Anakin, Nightmares of Hopelessness [Pesadelos de Desespero, em tradução livre]: Maiores que a própria vida, filhos de deuses, criaturas de brutal dominânicia. Absolutamente nenhuma barreira é capaz de impedir sua passagem, seja ela mundana ou mágica;
  • Eshmaki, Nightmares of Darkness [Pesadelos de Escuridão, em tradução livre]: As sombras são sua origem e sua herança, a destruição silenciosa que a humanidade não espera ser capaz de suportar. Qualquer um sob sua espreita não tem nenhuma esperança de escapar de seu alcance sem as devidas marcas;
  • Makara,  Nightmares of the Depths [Pesadelos das Profundezas, em tradução livre]: A mais velha das famílias, a força das ondas, a pressão das esmagadora e o conhecimento de tudo que já foi retomado pelas águas. A qualquer momento você pode decidir dividir a grandiosidade dos oceanos com todos a sua volta;
  • Namtaru, Nightmares of Revulsion [Pesadelos de Repulsa, em tradução livre]: Não feio, mas sim presenteado com uma face que reflete sua razão no mundo. Hediondamente terrível, repulsa visceral, essas sim são descrições que te fazem juz. Rompe a compostura de qualquer um com um mero vislumbre;
  • Ugallu, Nightmares of Exposure [Pesadelos de Exposição, em tradução livre]: A Morte que vem dos céus. Abaixo dos céus, em sua presença, tudo lhe pertence.


A Family do Beast é responsável pelo que ele é, desde o ambiente mais confortável até capacidades dignas de filmes de terror. Algo particularmente interessante é que o jogador pode ir além na customização na alma da criatura que ele interpreta e afirmar que ela se identifica com um dos filhos mais jovens da Dark Mother: vampiros, lobisomens, magos e assim vai, adotando comportamentos, capacidades e aparências dos mesmos, através de múltiplos recursos oferecidos pela natureza sobrenatural dos Beast, o Lair. Isso permite os Beast até mesmo a participarem de outras sociedades sobrenaturais, com o consentimento informado ou não de tais sociedades e indivíduos.
A segunda característica que determina o seu papel no mundo é a sua Hunger [Fome, em tradução livre]. Cada Fome é única em seus pormenores, porêm, em momentos de avidez extrema, a alma aceita qualquer coisa que se pareceça com o que lhe satisfaz. Os grupos maiores de Hungers são:

  • Tyrants, Hunger For Power: Você é inalcançável e faz questão de lembrar os menores do lugar ao qual eles pertencem.
  • Collectors, Hunger For the Hoard: Todos acumulam coisas que querem e precisam. Você é apenas o real dono de todas elas.
  • Predators, Hunger For Prey: Não importa o quanto alguém esteja seguro. Quando você quiser, ele saberá que a morte espreita.
  • Nemeses, Hunger For Punishment: Algumas vezes aqui se paga…
  • Ravagers, Hunger For Ruin: Quem ficará de pé quando a tragédia acontecer.


A alma irá se alimentar sempre que seu alimento estiver acessível. Quanto maior o nível de Satiety [Saciedade, em tradução livre] mais meticulosa a alma se torna com o que ela aceita como oferta. Beasts tem pouquissimo ou nenhum controle sobre o que a sua alma aceita como alimento. Eles apenas têm como manejar a oferta do que é aceito por seus apetites.

O Satiety, seu nível de satisfação, reflete a inquietação da alma monstruosa do Beast em seu covíl, favorecendo e dificultando certas capacidades suas. Ao chegar a 0 de Satiety, o personagem tem dificuldade para se concentrar em qualquer coisa que não resulte em sua satisfação imediata. Por outro lado, caso a Satiety chegue a 10, sua alma adormece em seu covil, removendo do Beast todas as suas capacidades sobrenaturais. Isso o torna quase mundano, mas nem tanto, pois ele sabe o que habita na escuridão e o que está ausente nela. Portanto, não existe ponto de Satiety seguro ou confortável, isso é o que move a história, podendo levá-lo à ruína ou à glória em um curto ou longo periodo tempo.
Entre os dois extremos de Satiety, as manifestações da forma de sua alma (Atavism) são aprimoradas quando sua Satiety se aproxima de 0, pois a alma se encontra ansiosa e ativa, sedenta por alimento. Seu domínio sobre medos (Nightmares) e os caminhos marginais ao inconsciente coletivo para seu covíl (Primordial Pathways) estão em seu ápice quando a Satiety está quase em seu limite superior. Sua alma está apaziguada, permitindo calma e controle da mente ao Beast.

O mais arriscado para o Beast é quando o tanque está pela metade, pois ele não possui nem a ferocidade do reflexo monstruoso de sua alma faminta e nem a concentração necessária para controle de terrores universais. Nesse momento ele se encontra vulnerável a ataques de Heróis…

Esses são os Begotten, os mais recentes residentes das Chronicles of Darkness.

7 comments

    1. É um jogo muito legal.
      Tive a oportunidade de narrar uma oneshot para uma trupe de Beast. Particularmente enriquecedor, um dos membros do grupo era um Promethean.
      A dinâmica do jogo é consequências e dinamismo, as cenas de ação se desenrolam como o filme Mad Max, o tempo todo os personagens ficam variando entre extremos de comportamento.

  1. Dá a entender que essa “nova criatura” no cenário é como jogar com um antagonista dentro do jogo. Mesmo os demais seres da Crônicas das Trevas serem horrores escondidos da humanidade, os Beasts parecem ser algo que nasceu para atormentar.
    Não sei dizer se é somente pelo resumo que acaba dando essa impressão…

    1. Não necessariamente. O livro deixa bem claro que os beasts escolhem o que querem fazer quando descobrem que são beasts. Alguns escolhem ensinar e educar as pessoas usando o medo que representam enquanto outras tão apenas afim de curtir a vida e seus poderes.

      Lembrando que a aplicação de medo “pode” ter efeitos benéficos. Por exemplo, um cara arrogante demais pode perceber que existem coisas mais importantes do que ele.

      1. Entendi agora como é o desenrolar desse tema.
        No início é mais uma questão de controlar essa nova faceta, para depois usá-la da forma que lhe convir melhor. Bem interessante e também acho bem diferente dos demais seres.
        Vou esperar ansiosamente pelo lançamento para entender melhor.
        Eles parecem serem mais individuais como um Promethean ou estou errado?

      2. Pelo contrário, eles são extremamente sociáveis entre si e com outros. Ao ponto que isso chegar ser um inconveniente para quem ele escolhe se socializar, ele é aquele cara legal de personalidade forte, mas que é mais palatável de doses controladas.
        Não chegamos a expor nesse post, algumas das mecanicas do jogo, pois é muita coisa, muito diferente do que a gente está acostumado em outros jogos, conceitos novos. Planejo me aprofundar nisso em um post futuro.

    2. Esse é o ponto de vista errado. Você não deve ser o antagonista da sua própria história. Beasts apenas não se restringem a ideias de moralidade e choque as quais os humanos são presos. Beasts possuem não só papel na história, como tambem papéis fundamentais na sociedade humana e sobrenatural.
      Do ponto de vista de muitos sobrenaturais, o Beast será uma das poucas pessoas na qual ele pode confiar e se abrir, um igual, mas não um rival.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *