Coisas Estranhas – Parte 4 [Cenas 4-5-6-7]

Coisas Estranhas – Parte 4 [Cenas 4-5-6-7]

Caso tenham perdido as outras duas partes, não se desesperem, aqui estão:

Primeira parte: Introdução e Preparo da crônica

Segunda parte: Dramatis Personae – Personagens Jogadores e NPCs

Terceira parte: Cenas 1, 2 e 3

Fiquem agora com a terceira parte da crônica “Coisas Estranhas” do cronista Thiago Miani.

Cena 4

Descreva para cada jogador a festa do Eddy novamente. Eles estão bebendo como da primeira vez. Repita as mesmas histórias que os NPCs falaram, inclusive os mesmos NPCs. É óbvios que eles vão começar a perguntar o que está havendo, mas os NPCs não vêem nada de estranho nesse “reboot”, apenas dizem que pode ser um déjà vu. Se alguém perguntar, o parceiro do Detetive (policial ou não) está na festa também, mas não chame atenção pra esse fato. Deixe o parceiro jogador ouvindo tudo, mas sem ele perceber que está na cena.

Em poucos minutos, Eddy aparece para o anúncio, mas está nú. Ninguém parece perceber além dos jogadores. Ele diz seu grande anúncio, leia para os jogadores de forma muito animada, como se o personagem estivesse muito feliz:

Eu fui para um novo mundo, diferente, lindo e louco, com espinhos até onde o céu alcança, esses espinhos rasgam minha carne e furam meus olhos. Não tem nada pra comer, então devorarei meu próprio braço, tem outra coisa comigo, algo antigo, mas mesmo assim tem cheiro de novo. Estou perdido e vou morrer! Um Brinde!

E todos brindam enquanto a pele de Eddy é perfurada e o sangue vaza por todos os buracos do corpo dele.

Cada jogador acorda no local onde sua ligação com Eddy era mais forte. Eles podem ter dormido ao lado de um livro de RPG emprestado, na farmácia, ou mesmo no cursinho. Aparentemente eles tiveram um pesadelo no meio do dia. É importante que as pessoas ao redor tenham ouvido o que eles falaram durante o sono.

Sugira que todos se encontrem em algum lugar, os jogadores e os NPCs. Cada um pode contar sua versão do pesadelo, inclusive, aconselhamos que depois disso cada um deles descreva detalhes bizarros que eles se lembram, agora que estão acordados.

Os NPCs vão revelar as mesmas informações, mas neste momento a única informação relevante é que isso não é uma coincidência. A saída daqui será os jogadores saírem para procurar o amigo. A última localização conhecida é a floresta da fábrica de papel. Os NPCs não vão participar disso, mas nesse momento você já formou o grupo. Se quiser, pare agora e encerre a primeira sessão.

Cena 5

A busca começa pela floresta. Se os jogadores vieram imediatamente, eles chegam por volta do fim da tarde ou no começo da noite. Durante as primeiras horas não tem nada de estranho no local, com exceção das estranhas marcas de animal no local. Qualquer personagem pode fazer o teste de (Inteligência + Adestrar Animal). Nenhuma especialização de Trato com Animais é aplicada aqui, mas se o jogador tiver uma especialização em Ocultismo, use imediatamente. Não importa qual especialização. Qualquer grau de sucesso é suficiente para chegar à conclusão que nenhum animal normal poderia ter feito aquelas marcas.

Após algumas horas os jogadores se reúnem. Se alguém perguntar as horas, diga que são quase 9 da noite. A busca, aparentemente, é inútil. Deixe os jogadores acharem que a melhor solução é invadir a fábrica próxima. Isso é irrelevante. Um dos jogadores ouve seu celular tocando. Se ele ver o número, é o celular do Eddy.

Se o parceiro for parte da equipe ele pode dizer que o aparelho está na delegacia, ainda na pericia criminal. Quando o jogador atender é o próprio Eddy quem fala:

(Leia a frase a seguir)

  • [Nome do jogador], cara você não acredita, saí da estrada e o carro não está ligando. Preciso de uma carona ou que você me chame um reboque. Eu estou perto da fábrica de papel, tem como mandar ajuda? <Um pequeno silêncio.> – Espera, acho que não vai precisar, tem alguém vindo ali. Daqui a pouco eu ligo se der tudo certo, hehehe.

O jogador vai notar imediatamente que Eddy não tem na voz nenhum sentimento de medo, aparentemente ele estava bem e tranquilo.

Qualquer jogador pode perceber que é exatamente o mesmo horário que o policial David falou que Eddy teria ligado no dia anterior. Logo não é preciso pensar muito para saber que ele vai ligar novamente em 10 minutos.

Coloque um alarme para 10 minutos no seu celular, deixe os jogadore verem isso, mas, escondido, marque um segundo alerta para sete minutos. Deixe claro que o objetivo é que eles percam tempo mesmo, embora alguns possam achar que está tranquilo pra ir ao banheiro a idéia que que os personagens também não tenham nada pra fazer além de esperar e aumentar a tensão, se o jogador for ao banheiro o personagem provavelmente vai na moita também. Talvez algum deles queira tentar discutir como você faz uma ligação com um dia de delay seguindo as leis da física, e algum jogador de mago pode problematizar em cima. Não se incomode com isso.

Quando o primeiro alerta tocar, uma mulher, trajada com uma farda, uma pistola e um taser na cintura aparece. Obviamente os jogadores estarão, ou relaxados demais ou nervosos demais.

Olivia é a segurança da fábrica e está fazendo a ronda no local. Ela não tem a menor intenção de atirar em ninguém, mas atacará se for atacada. A parte importante é que os jogadores tem aproximadamente três minutos para perguntar qualquer coisa pra ela. Ela não é evasiva, mas não tem nenhum motivo para responder aos jogadores de bom grado. Para todos os efeitos ela é a segurança e eles estão invadindo.

Tente deixar essa conversa o mais tensa possível, quando o segundo alarme tocar avise ao jogador que Eddy está ligando novamente.

Eddy diz o seguinte:

  • Desculpe ter assustado você, parceiro, mas não vai precisar, uma mulher acabou de passar por aqui, ela já está chamando ajuda.

Se o jogador tentar avisar que ele está em perigo Eddy diz que a segurança parece gente boa, apesar do cabelo muito comprido. Depois disso um som de golpe pode ser ouvido, seguido de algo ser arrastado e a linha cair.

Não é preciso ser um gênio (embora ajude) para os jogadores chegarem à conclusão que a mulher na frente deles sequestrou seu amigo.

Cena 6

A desconhecida se chama Olívia e ela é uma de dois seguranças que fazem a ronda na floresta da fábrica de papel. Seu trabalho é vigiar se ninguém se enfiou na floresta para usar drogas e evitar que pessoas tentem invadir a fábrica de noite. Se questionada sobre ter visto Eddy na noite passada ela diz que não. Nenhum teste acusa que ela está mentindo sobre isso.

Ela não tem a menor intenção de lutar, mas se alguém tentar ela vai reagir. Se alguém causar dano letal usando madeira (serve furar ela com um galho), o sangue dela, na madeira, vai ser escuro. Qualquer outro material ou caso o sangue toque qualquer outra coisa, ela deixa o sangue com suas características normais. Embora os jogadores não tenham como descobrir isso agora Olivia é um duplo, o que quer dizer que sua mascarilha a protege de ser identificada como um feé. Porém, por uma interdição, seu sangue mostra a verdade sobre a madeira (e apenas sobre ela).

O esperado, entretanto, é que Olivia leve os jogadores para maiores explicações.

Olivia não sabe de nada, mas sua descrição bate com o pouco que Eddy falou: uma segurança com cabelo comprido (uma imagem da Raposa pode ser vista junto à ficha dela. A mascarilha delas é idêntica). Não tem como descobrir mais nada aqui no meio da floresta.

Cena 7

Montar esse quebra-cabeças pode ser a coisa mais difícil que os jogadores vão fazer. Se ninguém tentou matar Olivia, ela diz que na sala de segurança da fábrica poderá provar que não viu Eddy. Ela pode mostrar as gravações sem problemas mas, se os jogadores atacaram ela, esqueça. Ela só ajudará com o mandato da polícia.

Independente de como os personagens conseguirem acesso ao vídeo, seja de bom grado, usando poder letal ou o poder da lei, o vídeo tem a mesma informação: Olivia estava fazendo a ronda na parte mais ao norte da fábrica entre às 20:30 e 21:25, o que prova claramente que ela não teve nada a ver com a história.

Uma investigação minuciosa (Inteligência + Investigação [ou Ofícios: audiovisual]) revela uma informação mais importante. Olhando as gravações da câmera mais perto do local, onde Eddy parou o carro, é possível ver por alguns segundos uma marca aparecendo na câmera. Um segundo teste de (Inteligência + Ocultismo) pode revelar que isso foi um uso do Contrato da Fumaça. Diga que antiga lendas possuem histórias sobre fadas que podiam marcar espelhos para garantir que nenhum sinal de sua presença pudesse ser visto em lugar algum.

O truque é que essa marca dura tanto quanto as provas apagadas, logo, basta pegar a câmera e analisar. A lente dela tem saliva que corresponde à de Olivia e uma digital dela. Mesmo que ela estivesse a uma distância razoável dali, os jogadores podem checar também que os relógios das fitas estavam perfeitamente alinhados.

A última pista a seguir é capturar a criatura.

1 Comment

  1. Pingback: Coisas Estranhas – Parte 5: Final [Cenas 8, 9, 10 e 11]

Leave a Comment

Your email address will not be published. Required fields are marked *

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>
*
*