V5 – Apresentação sobre a 5e de Vampiro: a Máscara no “World of Darkness Berlin”

V5 – Apresentação sobre a 5e de Vampiro: a Máscara no “World of Darkness Berlin”

Os primeiros doze minutos do vídeo são mais da mesma retórica que a White Wolf havia apresentado até o momento. É um jogo sombrio, visceral, moderno, focado na história… o de sempre. Nesse início eles também apresentam os desenvolvedores do jogo:

  • Kenneth Hite – Desenvolvedor de Sistemas e Regras
  • Mary Lee – Diretora de Arte
  • Martin Ericsson – Diretor criativo
  • Jason Carl – Produtor

Aos 12:40m temos as informações mais consistentes sobre o V5. A ambientação usará como ponto de partida o V20 Beckett’s Jyhad Diary, um dos produtos lançados através de financiamento coletivo pela Onyx Path. A Gehenna terá acontecido entre 2005 e 2007. O cenário do V5 começa dez anos após esses incidentes, época atual. O Sabá se aproveita da proliferação de conflitos armados no mundo e se concentra nessas regiões. Isso tira efetivamente a organização Sabá da categoria jogável, pelo menos no início do V5. A Camarilla não considera os Anarquistas como membros. Estes, por sua vez, só respeitam a tradição da Máscara.

Do jeito que ficou a apresentação, não ficou claro se os anarquistas mencionados na apresentação referem-se ao grupo dos Anarquistas ou se são qualquer neófito. A Camarilla se dá o direito de recrutar para suas fileiras Anarquistas que demonstrem capacidade e respeito às tradições.

Além disso, a humanidade passou a bater forte de volta nos vampiros. Temos agora grandes organizações caçando vampiros. Como a tradição da Máscara ficou mais forte nessa edição, os vampiros passarão a ter duas identidades visuais, uma que eles usam para caçar, mais comedida, e uma que reflete melhor a natureza deles. Eles querem incluir o sangue fraco, que estará no limite entre o dia e a noite. Em teoria, eles podem escolher voltar ou se aprofundar nas sombras.

Quanto a arte do livro, eles querem usar de fotografia para complementar as imagens e desenhos clássicos de vampiro.

Eles estão desenvolvendo um sistema rápido, com mecânicas que estimulem a criação de cenas e mecânicas modulares mais ou menos complexas de acordo com o gosto do grupo.

Eles querem que o sistema tenha os seguintes elementos:

  • Gradação de um a cinco pontos.
  • Tenha o dado de 10 faces como base
  • Solucione conflitos rapidamente
  • Facilite a compatibilidade com títulos anteriores

O sistema utilizado no pré-alfa de Berlim possuía paradas de dados e dificuldade fixa entre outros elementos emprestados do Chronicle of Darkness.

Eles estão tentando reforçar o sangue e a fome como elementos do jogo. O vampiro deixa de ter uma reserva de sangue gradiente, substituída por uma rolagem de fome toda vez que ele utiliza o sangue. Se a rolagem resultar em fome as ações do vampiro passam a carregar um dado de fome, se nesse dado sair um resultado de “1”, o personagem demonstra a fome na forma de uma compulsão durante a ação em questão. O vampiro pode gastar “Composure” para evitar que a compulsão se manifeste, porém, os testes de resistência ao frenesi utilizam o Composure atual do personagem.

Os livros iniciais serão lançados num novo formato, para serem compatíveis com a proposta transmídia da empresa. O material inicial será dividido em três livros: um livro de regras, um livro de cenário descrevendo a Camarilla e um livro descrevendo os Anarquistas.

De acordo com as perguntas e respostas apresentadas aos 34 minutos da apresentação, deu pra levantar os seguintes elementos:

  • Os sistemas relacionados ao vampirismo serão estruturados ao redor do personagem humano. Isso permitirá mais tarde uma compatibilidade maior com os outros seres sobrenaturais, que também serão construídos a partir do modelo humano.
  • O sistema utilizará mecanismos apresentados nos RPGs publicados nos últimos 20 anos. Uma maior parte da narrativa será de responsabilidade dos jogadores.
  • Existem planos para o uso de Apps no jogo.
  • Perturbações mentais farão parte do sistema de fome e compulsão.
  • Os livros iniciais irão cobrir os sete clãs básicos e os sangue fraco, mas não os independentes. Provavelmente Lasombra e Tzimisce devem ficar pra um suplemento do Sabá.
  • Eles abordarão de um forma diferente as Bloodlines, quando elas forem abordadas.
  • Os personagens da Metaplot deixarão de moldar e transformar radicalmente o cenário. Os desenvolvedores pensam em maneiras de passar esse poder para a base de fãs talvez através de jogos virtuais.
  • Eles estão procurando gente que entenda das culturas chinesa, coreana e de outras partes do mundo para escreverem sobre o sobrenatural dessas regiões.

Por enquanto é isso aí.

Leave a Comment

Your email address will not be published. Required fields are marked *

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>
*
*