Chove Chuva – narrando em CofD parte 2

Aqui estão as escolhas que eu realizei para Crônica. E me preparo para por em prática os recursos de contrução de cenário do Chronicle fo Darkness.

Crônica: Chove Chuva

Não, eu não sou criativo, mas eu sei copiar.

Tema: Confiança e Paranoia, Escacês e Abundância.

São os temas que eu quis aproveitar das fontes de inspiração que eu estou usando para o jogo. Veja que eu cortei uma porrada de temas sugeridos para o cenário Rain Falls oficial. Lógico, eu ainda estou mantendo os temas usuais de Réquiem segunda edição. Aqui são apenas os temas que eu adicionei.
Observação: Apesar do aspecto tóxico da sociedade vampirica e dos temas paradoxais. EU NÂO ESTAREI NARRANDO UMA CRÔNICA GRIM DARK.

Vou usar as ferramentas de segurança Limites e Véus, Sinais de Trânsito e Debriefing.

Eu explico essas ferramentas de jogo seguro no artigo. Eu discuto essas ferramentas com a maravilhosa Cecília Reis nesse vídeo. A mesa terá três que eu não conheço bem e mais uma com quem eu não tenho o costume de jogar. Ou seja, além de elementos violentos na trama, além do meu interesse de continuar com a mesa até ao fim da trama, além de querer contar uma história colaborativa, ainda tem essa falta de informação sobre as pessoas que irão jogar como mais um motivo pra usar as regras de segurança e promover meios de comunicação entre partipantes constante.

Eu adiciono regras no jogo baseadas no material que eu li no artigo anterior. A proposta é que essas mecânicas reforcem os temas que eu escolhi.

-Nem o necessário
Cada personagem tem dois pontos a mais de vantagem para gastar em Feeding Grounds, Haven, Herd, Safe place, Resources, Retainers, Status City e vantagens do gênero. Adicionar pontos nessas vantagens na criação de personagem depende da aprovação do narrador e da criação de um NPC de quem vc tenha “adquirido” essas vantagens.

Os dois pontos gratuitos são um estímulo e uma garantia que personagens terão pontos nessas vantagens.

– Não é possível comprar com experiência essas vantagens.
– Todas existe um personagem que representa cada um dessas vantagens na trama. Exemplo: O peçanha policial corrupto pode representar contatos e aliados e status polícia.
– Se algo na crônica danificar as relações do um personagem com essas vantagens e o grupo ou personagem que representa a vantagem, a vantagem passa ser vacilante. Exemplo: incriminar em um assassinato investigado pela polícia.
– Vantagens vacilantes podem ser removidas do personagem devido a uma segunda ação de qualquer personagem que danifique o relacionamento do personagem com o grupo representado pela vantagem vacilantes. Exemplo: peçanha recebe uma propina ou ameaça pra ele fazer negócios com outra pessoa.
– Quando a vantagem vacilante é removida de alguém é vai pra outro personagem. Quem determina pra quem a vantagem vacilante vai é a última personagem que danificou a relação.
– Uma vantagem tomada continua vacilante
– Falhas em ações usando vantagens vacilantes contam como falhas dramáticas e conferem 1 beat.
– Sucessos excepcionais em ações usando essas vantagens removem a característica vacilante.
– Quem joga pode entregar vantagem vacilante tomada a quem narra. Isso permite quem joga remover vacilante de uma das suas vantagens ou de outro membro da Coterie.
– Quem joga pode entre sessões tornar vacilante uma de suas vantagens para remover o elemento vacilante de outra vantagem.

Essa é a mecanização da proposta. Níveis nessas vantagens se tornam flutantes e limitados. Veja que essa proposta exigi um engajamento maior dos jogadores que quiserem acesso a essas vantagens. Porém a proposta também barateia essas vantagens, pois deixam de custar experiência. Quem narra também pode determinar que dano final ao relacionamento não foi o suficiente pra se perder a vantagem completamente.
O benefícios e riscos pelo uso das vantagens enquanto elas estão vacilantes também usar as vantagens antes deles consolidarem elas. Por último o esquema de trocar com o narrador vantagens vacilantes, dá um estímulo pra essas vantagens não se acumularem completamente na mão de quem joga. Veja que está plenamente na mão de quem narra o veto sobre quem recebe a vantagem vacilante. Também seria possível trocar essas vantagens vacilantes por boa vontade e favores de organizações e outros personagens, mas aí eu acho melhor não por mecânica.

Ataques aos seus relacionamentes com as vantagens de “Nem o necessário” ou falhar um lash out geram as condições a seguir.
Uma falha de lashing out ou perda de “Nem o necessário”, a personagem recebe a condição Competitivo, Bestial ou Lascivo.

As condições acima, são as condições geradas por lash out normalmente. A proposta é que a sua fera é possiva e reconhece os ataques as suas redes de influencia como um ataque a ela.

Duas falhas ou perdas:
Recalcada
Sua personagem sente o gosto caustico do medo e da vergonha toda vês que aquela cachorra a olha. Ambas sabem que ela deu sorte, mas a fera foi ferida e intimidada. -2 dados em testes de Lashing Out quando está a uma distância de 10x potência de sangue dela em metros.
Resolução: A personagem que impôs Recalcada perde uma vantagem de “Nem o necessário” ou um lashing out na frente da sua personagem, se a sua personagem for bem sucedida num lashing out contra ela, tomar uma vantagem de “Nem o necessário”, ou esperar uma semana sem se envolver em lashing out ou perda de “Nem o necessário”.

A condição Recalcada e Exposta tem como objetivo gerar mais variedade e progressão pras condições de lash out. As condições Rcalcada e Exposta são baseadas nas condições do Guide to the Night que fazem parte de um sistema de combate de discurso, cujo o objetivo é humilhar outro vampiro em Elísios e outras funções sociais, Lingua Belum. Eu fiz poucas alterações pra essas condições funcionarem independente do sistema e podem ser usadas em qualquer situação de huumilhação pública para o vampiro.

Três falhas ou perdas:
Exposta
Por fraqueza das ações da sua personagem ou exposição da sua incompetência outras vampiros duvidam dela, e suas influencias estão reduzidas. Todas as suas vantagens sociais funcionam com um penalidade de -2 no nível da vantagem ou parada de dados.
Resolução: Realize uma tarefa digna de seu Status, derrote a parte que lhe ofendeu,ou espere uma história

Eu fiz poucas alterações pra essas condições funcionarem independente do sistema e podem ser usadas em qualquer situação de huumilhação pública para o vampiro. Veja que Recalcada é um envolvimento da fera vampirica no meio social. Já Exposta é uma consequência social do excesso de humilhações.

Quatro falhas ou perdas: Teste de frenesi com penalidade de -2.

Novamente a fera se irritando ainda mais com a situação. Uma penalidade de -2 pode parecer pouco. Porém mais a frente vou mudar um pouco o sistema de alimentação e as condições Competitiva, Bestial e Lasciva já geram penalidades contra Frenesi. Ou seja eu estou piorando um quadro que já está extremo.

Nem tudo é sofrimento. No caso de vitórias em lashing out ou de ganhos de níveis nas vantagens de Nem o necessário, o personagem recebe alguns benefícios. Uma vitória ou ganho: +2 dados em testes de competição, violência física ou sedução pela cena.

Aqui é o estímulo pros jogadores quererem participar desse sistema. O primeiro efeito é o resultado normal de um teste de lash out.

Duas vitórias ou ganhos:
A beira
A besta se esbalda em seu domínio sobre outra, pousando sobre a vítima caída para anunciar sua vitória. A confiança da vampira confere a ela +2 em testes de lash out e resistir a disciplinas. Porém a vampira se torna incapaz de simular humanidade, não pode gastar sangue para rubor de saúde e toma uma penalidade de -4 para interações sociais com mortais.
Resolução: Esse furor dura apenas até final do capítulo, a personagem falhar num lash out, ou perder um nível em Nem o necessário.

Veja que apesar dos bônus, a existência da personagem não se tornou mais fácil. Os bônus conferem poder só pra fazer merda na trama e com a vida da vampira, especialmente a sua identidade mortal.

-Olho Grande
Falhas e Falhas Dramáticas no uso de vantagens e competências podem gerar a condição Olho Grande.
Olho Grande
Alguém poderoso sabe que a sua personagem possui algo de valioso via fofoca, cacofonia ou rede de espiões e deseja seus bens ou serviços pra si. Tome um penalidade acumulativa de -1 em manobras sociais e uso de suas vantagens sociais toda vez que a sua personagem recusar propostas de uso de seus préstimos para terceiros.
Resolução: Aceite uma oferta irrecusável ou tenha algo de valor tomado de você.
Quem joga pode por vacilante em uma sua vantagem em troca por Olho Grande sobre outra personagem.

A proposta na minha mesa é usar essa condição para simular dívidas reais ou imaginárias de favor para com personagens mais poderosas ou personagens jogadores. Me parece que vai ter uma boa sinergia com “Nem o necessário” então eu ainda adiciona uma interação entre as duas mecânicas.

Quando vampiros põe Olho Grande sobre alguém, eles inflamam o interesse da fera pela dívida de acordo com a progressão da condição gerando uma simpatia sanguínea temporária. Veja que essa simpatia funciona nas duas direções.

olho gordo-1-2/-3-4/-5
Simpatia de sangue+0 +1+2

Na real eu estou com uma vontade de fazer um artigo só sobre como essa condição poderia ser aproveitada por diferentes seres sobrenaturais. Criando consequências para obsessões e mesquinharias.

-Traição
Cada personagem tem um ponto de vantagem para gastar em Allies, Contacts, Mentor, ou Retainer. Toda vez que o personagem usar uma dessas vantagens, o narrador rola nível na vantagem mais modificadores relacioados a quão mal ou bem o personagem trata essas relações.
Sucesso Excepcional = Um ponto de graça em vantagens
Sucesso = Tudo se mantém
Falha = O Allies, Contacts, Mentor, ou Retainer trai o personagem jogador. O personagem jogador terá que escolher entre manter a vantagem ou perde-la. Caso ele mantenha, ele também ganha 1 ponto de força de vontade. Caso ele perca a vantagem, ele pode gastar esses pontos em novas vantagens decorrentes da traição.
Falha Dramática = Não só a traição ocorre e o personagem perde a vantagem igual a falha normal, como o personagem jogador passa a ter um nemesis. Um personagem controlado por quem narra que só quer saber de ferrar a vida do personagem jogador.

Eu gosto demais dessa mecânica proposta no Dark Eras 1 anos 70 pra Lobisomens. É um relógio bem legal pra gerar consequências em jogo pra possíveis relações abusivas entre personagens.

-Proibido Nesse jogo ninguém tem acesso a vantagem Status Clan nem as possíveis vantagens decorrentes de Status Clan.

– Proibido Nesse jogo ninguém tem acesso a vantagem Status Clan nem as possíveis vantagens decorrentes de Status Clan.
– Metade do Status em coven pode ser usado como vantagens temporárias uma vez por história.

Esse é o prego final no caixão da relevância dos Clãs na crônica. Existia a possibilidade de ainda remover as aflições de clã e criar aflições de acordo com cada personagem. Mas teve jogadora que queria usar clã como parte da identidade da personagem. Veja que a vantagem gerada por coven é um negociação quem joga e quem narra.

– Sempre com fome
As últimas caixas de vitae são um pouco mais difíceis de encher do que o normal. Porém sangue potente e exótico permite vc ir além da sua capacidade máxima de potência de sangue e ainda oferece alguns benefícios extras.
Potencia se sangue 1 a 2 – Permite alimentação com sangue animal até uma reserva de 7 de vitae. Acima disso sangue animal só gera 2 de vitae a cada 3 sugados. Alimentação de sangue mortal continua a funcionar normalmente.
Potencia de sangue 3 a 5 – Permite alimentação com sangue mortal até uma reserva de 7 de vitae. Acima disso sangue mortal só gera 2 de vitae a cada 3 sugados. Alimentação de sangue vampirico ou sobrenatural continua a funcionar normalmente.
Potencia de sangue 6 ou mais – A vitae vampirica deixa de alimentar plenamente a partir da reserva de vitae equivalente a dois níveis de potência de sangue abaixo. Ou seja um vampiro de potencia 6, passa a ter que ingerir de 3 de vitae vampirica pra cada receber apenas 2 de vitae em suas reservas a partir 13 de vitae em suas reservas.

Eu disse que iria alterar como a fome funciona. Nada muito radical, admito. Cria sim um interesse maior em vantagens como Herd e Feeding Grounds. Mas é só a parte que quem joga e a maioria das personagens sabe. Existe uma proposta mais sinistra por trás dessa mecânica.

Mais que satisfeita É possível ultrapassar os limites da sua reserva de vitae usando vitae de origem mística para cada ponto acima do limite usual determinado pela potência de sangue. Quando isso acontece a fera se torna menos presente te dando +2 dados para resistir a frenesi. A humanidade passa a contar como dois níveis acima para determinar efeitos de aflições/banes. A personagem é claramente visível por câmeras e espelhos e está sob efeito de rubor de saúde. Potencia se sangue 1 – Estará sobre-aimentamentado bebendo sangue vampirico ou místico alcançando reserva de vitae 11 e 12.Potencia se sangue 2 – Estará sobre-aimentamentado bebendo sangue vampirico ou místico alcançando reserva de vitae 12 e 13.Potencia se sangue 3 – Estará sobre-aimentamentado bebendo sangue vampirico ou místico alcançando reserva de vitae 13 e 14.Potencia se sangue 4 – Estará sobre-aimentamentado bebendo sangue vampirico ou místico alcançando reserva de vitae 14 e 15.Potencia se sangue 5 – Estará sobre-aimentamentado bebendo sangue vampirico ou místico alcançando reserva de vitae 16 a 20.Potencia se sangue 6 ou mais – Trate a potência de sangue como um nível acima para determinar a quantidade máxima de sobrealimentação. Apenas sangue de origem sobrenatural não vampirica é capaz de sobre-alimentar anciões.

Isso vai criar um interesse por vitae vampirica e mágica como um recurso refinado para anciões lutarem contras suas feras. Não faço a menor ideia de como isso vai impactar o jogo, mas parece ser bem interessante pra possíveis crossovers no futuro.

Porém eu menti novamente. Esse artigo não contém o final da criação da minha crônica. Faltam coisas como personagens relevantes, locais importantes, distribuição do poder dos covens na cidade, territórios de caça entre outros detalhes. Esses elementos que cria não sou eu. Quem cria o resto da crônica é quem mais for participar da mesa. No próximo artigo eu apresento as decisões delas.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.